2 de jul de 2013

Das Prateleiras: Cubo

Posted by Natália Lins On 20:06 0 comentários


A produção Cubo (Cube) transformou a arte do terror da década de 90 e acabou inspirando outros filmes do gênero como Jogos Mortais (2004) e Armadilhas Mortais (2006). O filme, apesar do baixo orçamento, atingiu sucesso comercial significativo, conquistou muitos fãs e ganhou o status de filme cult.

O longa canadense de 1997 mostra um grupo de seis pessoas que misteriosamente acorda dentro de um intrincado labirinto formado por salas cúbicas interconectadas. Cada sala possui uma armadilha e uma pista para a solução do imenso quebra-cabeça. A princípio a ideia pode parecer um tanto bizarra, mas o espectador logo estará mergulhado naquele universo tentando decifrar o verdadeiro enigma que existe por trás de tudo aquilo.


Mais que um simples terror, existe um forte elemento de thriller psicológico, ao decorrer da história fica claro que as piores armadilhas não estão nos cubos, mas sim dentro de cada personagem e na forma com que ele demonstra lidar com a situação. Cada um possui características que, ao serem somadas, podem ajudá-los a escapar. Porém, essas mesmas características podem fazer com que se prejudiquem ainda mais.


A direção de Cubo é de Vicenzo Natali. Mesmo com atores pouco conhecidos e utilizando de poucos efeitos especiais, o filme consegue ser angustiante e claustrofóbico, o que parece ser sua intenção. O que poderia ser apenas um terror vazio se torna atraente à medida que os detalhes são estampados na tela. O objetivo de terem sido trancafiados ou quem fez o tal cubo não é explicado durante o filme, fica a encargo do espectador e sua imaginação.

As situações de pressão provocam em cada pessoa um efeito colateral, cada um responde de uma forma, insana ou heroica, mas ainda assim nem sempre é previsível. E de acordo com essas reações acabarão criando armadilhas para si mesmos.



0 comentários:

Postar um comentário