19 de jan de 2012

Era uma vez: A Fúria dos Reis

Posted by Aline Guevara On 18:49 0 comentários


Muito se tem comparado as histórias de As Crônicas de Gelo e Fogo com O Senhor dos Anéis. Não é para menos, ambas são histórias épicas passadas em um mundo medieval onde a magia é real e o perigo de forças ocultas é iminente. No entanto, se essa premissa é equivalente as duas sagas, as diferenças são enormes, e um dos principais pontos em que as tramas se diferem é em relação ao foco e seus principais personagens. No livro de Tolkien, a Terra Média perde o status de simples cenário para ser o centro das atenções, o lugar é tão importante que é quase o 10º membro da sociedade do anel. Já no mundo criado por Martin, todas as atenções estão voltadas para os personagens, estes complexos e fascinantes.

E se os livros de Martin tem como ponto forte seus personagens, A Fúria dos Reis, segundo da série, é de Tyrion e Arya. As histórias do anão e a menina Stark são destaque apesar de tantos acontecimentos e novidades que este livro traz. Mas recapitulemos, (SPOILERS) após a morte de Ned Stark, senhor de Winterfell e protetor do Norte, sua família e seus vassalos querem vingança. Mais, querem a independência de seu território das influências de Porto Real coroando o Jovem Lobo, Robb Stark, seu rei. Os Lanninsters e suas casas juradas não deixam por menos e partem para atacar as tropas nortenhas, sob o comando do ardiloso Tywin. Mas não é só Robb Stark que exige uma coroa: Balon Greyjoy, nas Ilhas de Ferro, Stannis Baratheon e seu irmão Renly também lutam para conquistar o posto mais alto na realeza, enquanto Joffrey reina em Porto Real. Com Daenerys como rainha nas terras além-mar, está instaurada a guerra entre reis e todo o povo sofrerá com sua fúria.

Tyrion, neste livro, está em Porto Real como Mão do Rei. O astuto anão usa toda a sua inteligência para conseguir agir dentro da capital e prepará-la para um possível ataque. Os diálogos entre ele e Varys, dois dos personagens mais espertos dos livros, são empolgantes e as discussões do pequeno Lannister com a irmã Cersei rendem alguns dos momentos mais engraçados da série. Ao ler o livro o leitor certamente vai ficar feliz ao começar o capítulo de Tyrion, triste ao terminá-lo e ávido para chegar ao próximo.

Enquanto isso, nossa valente Arya, depois de assistir a execução do pai, está a caminho da Muralha junto com o membro da Patrulha da Noite, Yoren, e com outros órfãos e condenados. No percurso repleto de perigos ela faz alguns amigos, muitos inimigos e sua jornada a leva cada vez mais longe da inocência infantil própria a uma menina de 9 anos, abrindo-lhe um caminho sombrio.

Catelyn Stark costuma ser uma personagem não muito querida pelos fãs da série, mas independente do gosto pela personagem, é através dela que presenciamos muito do que está ocorrendo no meio das batalhas. Já Bran, em Winterfell, começa a descobrir que sua ligação com seu lobo é muito mais forte do que simplesmente a de um dono com seu animal, adentrando cada vez mais nos mistérios mágico desse mundo.

Um ponto importante neste livro é a inclusão de capítulos de outros personagens. Um é bem conhecido de quem leu o primeiro livro: Theon Greyjoy, que mostrará um pouco de sua personalidade e o que está ocorrendo nas ilhas de Ferro. Outro é ainda mais interessante: o ex-contrabandista Davos Seaworth. Este carismático personagem partilhará sua visão de dentro da corte de Stannis e nos permitirá conhecer Melisandre, a perigosa Mulher Vermelha. Destaque também para um recurso muito bem utilizado por Martin neste: o de alternar capítulos de personagens envolvidos em um determinado evento para que possamos acompanhá-lo de forma mais completa.

Alguns outros personagens importantes acabam relegados a segundo plano. Durante a maior parte do livro, Jon Snow segue com a Patrulha da Noite no caminho além da Muralha para tentarem encontrar os selvagens que ameaçam o reino. Apenas ao final do livro é que os capítulos do rapaz ganham força e se enviesa por um caminho interessante. Havia uma grande expectativa sobre o destino da jovem mãe de dragões, Daenerys Targaeryen, após o final do primeiro livro que pode acabar frustrada. A trama da personagem, assim como seus dragões estão em desenvolvimento, e sua história não é tão excitante como o que está ocorrendo com outros personagem, exceto o surpreendente capítulo em que a khaleesi adentra a casa dos magos, um dos melhores capítulos do livro. No entanto, os capítulos narram o crescimento da personagem como governante, as primeiras decisões difíceis, seu senso de justiça.


Mas apesar de tudo isso, muito ainda está para ocorrer. Os acontecimentos são imprevisíveis e tudo pode mudar de uma hora para outra. E o inverno ainda nem chegou!

E semana que vem: A Tormenta de Espadas!

0 comentários:

Postar um comentário